Supressão de Enzima Parou o Acúmulo de Gordura em Ratos Independente da Dieta

Especialista da área:
atualizado em 29/01/2020

Um estudo surpreendente de uma equipe de pesquisadores da Universidade de Copenhague demonstrou uma maneira de parar completamente a capacidade do corpo de armazenar gordura. Em experimentos com ratos, a equipe mostrou que a exclusão genética de uma única enzima resultou no animal não ser capaz de ganhar peso, mesmo quando alimentado com uma dieta gordurosa.

  Continua Depois da Publicidade  

A enzima apelidada de NAMPT já foi relacionada à obesidade em modelos humanos e animais por vários estudos. Descobriu-se que sua presença no tecido adiposo aumenta a funcionalidade metabólica em vários tecidos do corpo, incluindo o tecido adiposo, o que aumenta a capacidade do corpo de armazenar gordura.

“A NAMPT presente no tecido adiposo provavelmente foi uma vez um benefício extraordinário para nossos ancestrais, mas na sociedade atual, repleta de alimentos ricos em gordura e caloricamente densos, pode agora representar uma desvantagem”, diz Zachary Gerhart-Hines, autor correspondente do estudo.

A fim de compreender os efeitos dessa enzima vital, os pesquisadores projetaram ratos sem NAMPT no tecido adiposo. Quando estes ratos geneticamente modificados foram subsequentemente alimentados com uma dieta rica em gorduras, estes não conseguiram engordar. Em comparação com um grupo de controle sobre a mesma dieta que se tornou obeso, os camundongos sem NAMPT também pareciam ser capazes de controlar melhor seus níveis de glicose no sangue, mesmo em uma dieta gordurosa não saudável.

Nós demos aos ratos uma dieta que mais ou menos corresponde a comer hambúrgueres e pizza continuamente”, explica Karen Nørgaard Nielsen, primeira autora do estudo. “Ainda assim, era impossível para eles expandir o tecido adiposo. Nosso objetivo final é que, ao entender essas bases fundamentais de como nos tornamos obesos, possamos aplicar nossas descobertas ao desenvolvimento de novas estratégias de tratamento para doenças metabólicas”.

O estudo é inegavelmente fascinante, mas infelizmente os pesquisadores sugerem que não pode ser transferido diretamente para humanos. O NAMPT é uma enzima que se expressa em vários órgãos e tecidos, portanto, a sua inibição direta em humanos pode resultar em muitos efeitos colaterais prejudiciais.

Curiosamente, os inibidores de NAMPT também estão sendo pesquisados para terapias contra o câncer, com pesquisas recentes demonstrando que moléculas sintetizadas podem ser desenvolvidas especificamente para a morte de células de tumores.

  Continua Depois da Publicidade  

Mais pesquisas são propostas para investigar exatamente como uma deficiência em NAMPT inibe o armazenamento de gordura e a obesidade. Espera-se que a compreensão do mecanismo em jogo possa ajudar os pesquisadores a desenvolver uma estratégia de tratamento mais direcionada que regule o armazenamento de gordura sem causar os problemas mais amplos que resultariam da eliminação total do NAMPT de um organismo.

A pesquisa foi publicada na revista Molecular Metabolism.

Você acredita que a Ciência possa, em breve, descobrir um mecanismo como esse para evitar o acúmulo de gorduras em humanos? Faria esse tratamento? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média 5,00)
Loading...
Equipe MundoBoaForma
Sobre Equipe MundoBoaForma

Quando o assunto é saúde, você tem que saber em quem confiar. Sua qualidade de vida e bem-estar devem ser uma prioridade para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada e altamente qualificada, composta por médicos, nutricionistas, educadores físicos. Nosso objetivo é garantir a qualidade do conteúdo que publicamos, que é também baseado nas mais confiáveis fontes de informação. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados à saúde, boa forma e qualidade de vida.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário

1 comentário em “Supressão de Enzima Parou o Acúmulo de Gordura em Ratos Independente da Dieta”