Sintomas iniciais de insuficiência cardíaca para não ignorar

Especialista da área:
atualizado em 04/12/2020

A insuficiência cardíaca ocorre quando o músculo cardíaco não bombeia mais o sangue como deveria. O problema pode ser fruto da doença arterial coronariana ou ataque cardíaco.

  Continua Depois da Publicidade  

No entanto, pressão alta de longa data, válvulas cardíacas defeituosas e doença genética também podem ser as culpadas.

De fato, a condição é séria e pode gerar complicações. Por exemplo, estão entre elas o dano ou a insuficiência renal, os problemas na válvula cardíaca, o dano no fígado e os problemas no ritmo cardíaco.

Entretanto, o prognóstico de cada paciente depende da causa e severidade do seu quadro, da sua saúde de modo geral e de outros fatores como a idade. Além disso, os sintomas e a função cardíaca de alguns pacientes melhoram com o tratamento adequado.

Por outro lado, a insuficiência cardíaca pode ser fatal. Quem tem a doença pode apresentar sintomas graves e precisar até mesmo de um transplante de coração ou de um dispositivo de assistência ventricular.

Assim, é muito importante ficar atento aos sinais e sintomas da doença para diagnosticá-la logo e começar o tratamento o mais rápido possível para uma melhor qualidade de vida.

As FACES da insuficiência cardíaca

Dor no peito

Com o passar do tempo, ao chegar aos 60 ou 70 anos de idade, o corpo já não funciona com o vigor de antes. Portanto, não é incomum alguém dessa faixa etária reclamar que está cansado devido à idade. Mas a velhice nem sempre é a única culpada.

  Continua Depois da Publicidade  

De acordo com o diretor médico do Centro Cardíaco e Vascular do Brigham and Women’s Hospital, Mandeep Mehra, as pessoas costumam ignorar sintomas da insuficiência cardíaca e atribuí-los ao avanço da idade.

“Portanto, era importante para nós criar uma maneira fácil de identificar esses sintomas”, afirmou Mehra.

Assim, para ajudar médicos e pacientes a identificar rapidamente uma possível combinação de sintomas da insuficiência cardíaca, a Sociedade da Insuficiência Cardíaca da América criou a sigla FACES.

Isto é, cada letra corresponde a um sintoma (em inglês) que pode estar associado à insuficiência cardíaca:

F = Fadiga

Quando o coração não dá conta de bombear o sangue rico em oxigênio para suprir as necessidades de energia do corpo, surge uma sensação generalizada de fadiga ou cansaço.

A = Atividade limitada

Adicionalmente, quem tem insuficiência cardíaca geralmente não consegue fazer as suas atividades normais do dia a dia porque fica facilmente cansado e com falta de ar.

  Continua Depois da Publicidade  

C = Congestão

Além disso, o acúmulo de fluido (líquido) nos pulmões visto na insuficiência cardíaca pode gerar tosse, chiado e dificuldade para respirar.

E = Edema (inchaço)

Quando não tem toda a sua habilidade de bombear, o coração não consegue forçar o sangue usado das extremidades inferiores do corpo a retornar para cima.

Como resultado, pode ocorrer um acúmulo de líquidos provocando inchaço nas pernas, tornozelos, coxas e abdômen. Esse excesso de fluidos também pode provocar um rápido ganho de peso.

S = Sem ar (dificuldade para respirar/falta de ar)

A presença de fluido nos pulmões dificulta a troca de dióxido de carbono do sangue usado por oxigênio fresco. Ao mesmo tempo, pode ser mais difícil respirar ao deitar porque a gravidade permite que o fluido abaixo dos pulmões chegue ao tronco.

O que fazer em frente a esses sintomas?

De acordo com o diretor médico do Centro Cardíaco e Vascular do Brigham and Women’s Hospital, por si só, esses cinco sinais de alerta não confirmam um diagnóstico de insuficiência cardíaca, mas sim indicam a urgência de procurar a orientação médica.

Portanto, se você ou alguém da sua família está apresentando estes cinco sintomas, procure a ajuda médica. Na consulta, além de ouvir o relato dos sintomas, o médico provavelmente fará o exame físico e analisará os fatores de risco do paciente. Ele também poderá pedir alguns testes.

  Continua Depois da Publicidade  

Assim, o profissional poderá determinar qual o tratamento adequado e seguro para o quadro em questão. O tratamento da insuficiência cardíaca pode incluir medicamentos, cirurgia e o uso de aparelhos médicos.

Outros sintomas da insuficiência cardíaca

Adicionalmente àqueles que já citamos nos dados acima, a insuficiência cardíaca também pode provocar os seguintes sintomas:

  • Batimento cardíaco irregular ou rápido;
  • Muco (catarro) branco ou rosa tingido de sangue;
  • Aumento da vontade de fazer xixi à noite;
  • Falta de apetite e náusea;
  • Dificuldade de concentração ou diminuição do alerta;
  • Dor no peito, quando a causa da doença é um ataque cardíaco.

O que achou das dicas?

Fontes e Referências Adicionais

Alguém da sua família já teve insuficiência cardíaca? A pessoa teve esses sintomas? Conte para nós nos comentários!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Lucio Pacheco
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco é Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral - CRM 597798 RJ/ CBCD. Formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr. Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico-cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. Além disso é diretor médico do Instituto de Transplantes. Suas áreas de atuação principais são: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia, e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário