O que é taquicardia – Causas, sintomas e o que fazer

Especialista da área:
atualizado em 25/08/2021

O ritmo cardíaco varia dependendo de alguns fatores, dentre eles, esforços físicos, questões emocionais e até mesmo problemas de saúde.

  Continua Depois da Publicidade  

Durante a prática de exercícios físicos, por exemplo, é comum que nosso coração acelere. Porém, nesse caso, a frequência cardíaca normal é restabelecida ao fim da atividade.

Em outros casos, a aceleração dos nossos batimentos cardíacos pode ser um sintoma de ansiedade ou até mesmo de problemas cardíacos.

O que é taquicardia

eletrocardiograma

A arritmia cardíaca é um tipo de problema no funcionamento do coração, que faz com que ele bata fora do seu ritmo normal, seja de forma acelerada ou de forma muito lenta. Quando o ritmo do coração é acelerado, tem-se a taquicardia.

A taquicardia ocorre quando a frequência cardíaca passa de 100 batimentos por minuto em repouso. O coração de um adulto geralmente bate entre 60 a 100 vezes por minuto, mas na taquicardia essa frequência é mais alta.

Quando o coração bate muito rápido, ele bombeia sangue de forma menos eficiente e o fluxo sanguíneo pelo corpo é menor. De fato, isso é perigoso para a saúde e pode aumentar o risco de acidente vascular cerebral e ataque cardíaco.

Hoje já existem relógios de pulso e medidores de frequência cardíaca que podem monitorar o ritmo cardíaco de forma contínua. Saiba como escolher um medidor de frequência cardíaca para prevenir a taquicardia.

  Continua Depois da Publicidade  

Tipos de taquicardia

Os tipos mais comuns de taquicardia incluem:

  • Taquicardia sinusal, que ocorre no nó sinusal, que são células do coração que funcionam como um marcapasso;
  • Taquicardia atrial, que é a que acontece no átrio, estrutura que fica na parte de cima do coração;
  • Taquicardia ventricular, que acontece no ventrículo, que é a parte debaixo do coração.

Causas

A taquicardia pode ser causada por disfunções nos impulsos elétricos que controlam o bombeamento de sangue do coração. Esses problemas podem ser causados por:

  • Consumo excessivo de álcool;
  • Anomalias congênitas do coração;
  • Consumo de substâncias ilícitas;
  • Reação ou alergia a medicamentos;
  • Desequilíbrio eletrolítico;
  • Doenças cardíacas como a doença arterial coronariana, insuficiência cardíaca, infecções, doença muscular do coração ou valvopatia;
  • Tabagismo;
  • Doenças pulmonares;
  • Hiperatividade da glândula tireóide;
  • Hipertensão.

Sintomas

dor no peito

Certas pessoas não apresentam sintomas, mas outras podem ter sinais como:

  • Dor no peito;
  • Confusão;
  • Tontura;
  • Palpitações;
  • Falta de ar;
  • Fraqueza repentina;
  • Confusão mental;
  • Pulso rápido;
  • Pressão arterial baixa;
  • Desmaio.

Casos de taquicardia que não causam sintomas só são descobertos por meio de exames cardiológicos de rotina.

O que fazer

Ao se sentir mal por causa da taquicardia, é importante ir ao médico para detectar a origem do problema. É importante saber que a taquicardia frequente ou não tratada pode causar outros sintomas como a falta de ar, a fadiga extrema e a tontura. Além disso, pode aumentar o risco de desmaio, coágulos sanguíneos e insuficiência cardíaca.

Primeiro passo: desacelerar

Quando o coração não consegue voltar ao ritmo normal sozinho, o médico pode ajudar com algumas técnicas, que podem incluir:

  Continua Depois da Publicidade  

  • Manobras vagais como, por exemplo, aplicar uma bolsa de gelo no rosto;
  • Uso de medicamentos para reduzir a frequência cardíaca;
  • Cardioversão, em que um choque elétrico aplicado no coração afeta os seus impulsos elétricos e ajuda a restaurar o batimento cardíaco normal.

Segundo passo: diagnosticar

exames do coração

Compreender a causa da taquicardia é fundamental para prevenir complicações de saúde. Por isso, alguns exames de sangue e testes específicos do coração, como o eletrocardiograma e o ecocardiograma, são essenciais para ajudar a descobrir o que está deixando seu coração acelerado.

Terceiro passo: tratar

O tratamento da causa da taquicardia é importante para normalizar o ritmo cardíaco e pode contar com:

Ablação por cateter de radiofrequência

Trata-se da implantação de cateteres que têm acesso aos vasos sanguíneos. Os eletrodos conectados nas extremidades do cateter são aquecidos para desacelerar os batimentos cardíacos anormais.

Remédios

Existem remédios antiarrítmicos que podem prevenir a taquicardia. Alguns anticoagulantes também podem ajudar em alguns casos. Mas é importante que eles sejam prescritos por um médico depois de fazer todos os exames solicitados.

Cirurgia

Às vezes, é preciso fazer uma cirurgia para remover tecidos danificados no coração que prejudicam a sua atividade elétrica e causam a taquicardia.

Outros tratamentos

Por último, quando o coração acelerado é resultado de problemas na tireoide ou ansiedade, é importante tratar essas causas. Os transtornos de ansiedade, por exemplo, geralmente melhoram com uma combinação de remédios e terapia. Já as disfunções da tireoide podem ser tratadas com remédios para regular a produção hormonal e também com ajustes na dieta.

  Continua Depois da Publicidade  

Independentemente da causa, é importante investigar e tratar a taquicardia antes que ela se torne um problema crônico.

Fontes e referências adicionais

Você já sentiu o coração acelerado? Precisou ir ao médico por causa desse sintoma? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Nenhum voto ainda)
Loading...
Lucio Pacheco
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco é Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral - CRM 597798 RJ/ CBCD. Formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr. Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico-cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. Além disso é diretor médico do Instituto de Transplantes. Suas áreas de atuação principais são: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia, e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário